Princípios de Treinamento Weider

Princípios que definiram o treinamento moderno

  • Eduardo Almeida
Por Eduardo Almeida
Colunista de Fisiculturismo e Treinamento.
Diretor de Marketing
04/03/2017
TAGS#Hipertrofia #Competição #Avançado #Massa Muscular #Definição

Joe Weider, foi o atleta mais importante do fisiculturismo mundial. Além de criar a IFBB, o Olympia e, inúmeras revistas de musculação e fitness, que desde 1940, informa atletas com o que existe de mais importante para aumentar o desempenho. Joe criou seus próprios princípios de treinamento, vendidos em livros em todo o mundo. Esta coluna, vai descrever, resumidamente, os principais princípios de Joe Weider. Que são aplicados desde a década de 40 até os dias de hoje, em atletas iniciantes, intermediários e avançados.

Sem Joe Weider, não teríamos a indústria do fisiculturismo. Não teríamos Arnold Schwarzenegger, Larry Scott, Sergio Oliva, Frank Zane, Franco Columbu, Jay Culter, Phil Heath, entre outras lendas do Mr. Olympia. Todos esses atletas de elite, foram influenciados pelos princípios de treinamento de Weider.

 

1. Treinamento Progressivo. Este primeiro princípio, se refere ao aumento progressivo da carga utilizada nos exercícios. Se um atleta, manter a mesma carga, durante muito tempo, os resultados em ganho de massa muscular não serão satisfatórios. Esse princípio, é o responsável por causar o maior número de micro rupturas musculares, que proporciona uma reconstrução muscular e, aumento do tamanho do músculo.

A genealogia do treinamento progressivo, pode ser rastreado até o começo da história, onde o fascínio da humanidade com habilidades físicas pode ser encontrado entre numerosos escritos antigos. O treinamento progressivo, começou na Grécia antiga, quando a lenda conta que o lutador Milo de Croton, treinou carregando um bezerro recém-nascido, em suas costas, todos os dias, até que estivesse totalmente crescido.

Também, deve-se, aumentar o número de séries, e de sessões de treinamento, e ao mesmo tempo, diminuir o tempo de repouso entre as séries. Esse princípio, é facilmente aplicado em iniciantes e intermediários, onde o aumento de força é mais acelerado. Já para os atletas avançados, que chegaram à uma carga muito elevada, devem realizar uma combinação de todos os outros princípios.

 

2. Treinamento em Série. Este princípio, prioriza a realização de 3 a 4 séries para cada exercício, com objetivo de chegar a uma exaustão de um determinado músculo. Ou seja, causar o maior número de micro rupturas em um músculo específico. Aumentando a hipertrofia muscular.

Este princípio, é melhor aplicado, em atletas iniciantes e intermediários. Atletas avançados, realizam 3 a 4 séries em um determinado exercício, mas em outros, realizam 1 série, ou 2. Com objetivo de confundir o músculo, ou priorizar um exercício específico.

 

3. Treinamento Isolado. Um músculo pode ser acionado de forma isolada, ou, juntamente com outros músculos auxiliares. Um exercício pode acionar músculos com diferentes funções, como estabilizador, como agonista ou sinergista. Para um músculo chegar ao máximo de exaustão, e proporcionar o maior número de micro rupturas, e hipertrofia, é necessário isolá-lo. Existe aparelhos modernos, que limitam o movimento e, facilitam esse princípio. Os movimentos com peso livre, envolvem um número maior de músculos, deixando o músculo principal, com menos intensidade.

Esse princípio não desqualifica exercícios poderosos, que envolvem um número maior de músculos. Deve-se ponderar, e realizar todos os tipos de exercícios. Sem esquecer, que um exercício específico, com movimento limitado, deve estar no programa de treinamento para exigir ao máximo do músculo em questão.

 

4. Confusão Muscular. Este princípio de treinamento de Weider, prioriza a mudança de exercícios. Com objetivo de não deixar o músculo adaptado a um exercício ou rotina de treino. Para que ocorra o máximo de hipertrofia, o músculo precisa receber um estimulo diferente a cada treino, seja pelo aumento da carga, seja pela mudança da rotina. Para atingir esse objetivo, deve-se variar constantemente o exercício, as séries, as repetições, o ângulo, a fim de não deixar o músculo adaptado.

É comum, depois de uma mudança no treino, perceber no dia seguinte, que o músculo trabalhado está dolorido (não confunda com lesão). Um treino que não é modificado, é percebido com facilidade por atletas mais experientes, apenas analisando a recuperação da musculatura nos dias seguintes. Quando um treino é novo, exigi maior tempo para a recuperação.

Deve-se cuidar, para que essa mudança constante de exercícios, não confunda o atleta, e não aconteça de esquecer o peso que era utilizado, ou o exercício mais eficiente. Para realizar esse princípio com propriedade, recomenda-se, o acompanhamento com um Personal Trainer. Ou, registrar o treinamento em um aplicativo de controle de treinamento, que mantenha um histórico detalhado dos treinos do atleta.

 

5. Treinamento Prioritário. Este princípio refere-se a começar um treinamento pelo ponto fraco do atleta. Antes que a exaustão, prejudique o desempenho. Se está programado para segunda-feira, treino de peito e tríceps. E o atleta tem dificuldades de aumentar a hipertrofia do tríceps, deve-se começar pelo tríceps.

Últimas 5 Colunas

5 colunas
  • User Image
Como perdi 70kg e virei atleta Neurociência e Emagrecimento juntos contra a obesidade 26/04/2017 Leandro Rhein
  • User Image
Franco Columbu 2x Mr. Olympia 23/03/2017 Eduardo Almeida
  • User Image
Sergio Oliva 3x Mr. Olympia 22/03/2017 Eduardo Almeida
  • User Image
Frank Zane 3x Mr. Olympia 21/03/2017 Eduardo Almeida
  • User Image
Como a neurociência vai entrar em sua vida? Competição, ciência e outras coisas mais... 09/03/2017 Leandro Rhein

Colunistas

3 colunistas

Muscles

Fitness. Information.
Agência Software